ELE COME TUDO QUE VÊ PELA FRENTE. E AGORA?

ELE COME TUDO QUE VÊ PELA FRENTE. E AGORA?

Esta cena é um clássico: você chega em casa e o chinelo está sem um pedaço, aquele brinquedo do seu filho está destroçado e a cadeira toda roída… Você se pergunta: será que não faz mal para o meu cachorro ou gato engolir o que não deveria? A resposta é SIM, faz mal e pode colocar em risco a vida do pet.

Daniele Rocha que o diga. Ela já passou muitos apertos com o vira-lata Farofa: “ele come de tudo em casa: chinelo, espuma do sofá, taco”. Além do estrago de tanta coisa em casa, ainda há a preocupação com a saúde dele.

Cães e gatos tem mesmo uma curiosidade natural e acabam experimentando e colocando de tudo na boca. Em muitas dessas vezes, acabam ingerindo o que não devem. A ingestão de corpos estranhos, como os veterinários chamam, é comum, mas perigosa e pode até levar à morte. Os cães realmente engolem mais objetos que os gatos, já que os felinos são mais seletivos: gostam mais de linhas, barbantes e pequenas coisas. Em gatos, essa mania de ingerir o que não é alimento tem nome: PICA, um comportamento compulsivo. O tratamento é semelhante a qualquer compulsão, que requer mudança de rotinas e ajuda veterinária. Nos casos mais graves, são necessários medicamentos e alterações na alimentação para dar mais sensação de saciedade. Outro ponto importante é que animais com deficiência nutricional, anemia, viroses, doenças dentárias e hipertireoidismo podem  roer e igerir objetos com mais frequência. Alguns vilões dentro de casa: sapatos, meias, moedas e brinquedos de crianças.

Se o objeto não for pontiagudo e o cão for grande, quase sempre vai seguir a rota natural e ser eliminado nas fezes. Mas em alguns casos, a coisa complica. O objeto pode se alojar em alguma parte do estômago ou intestino mais estreita. Nessa situação, se ele não conseguir eliminar, vai começar a apresentar alguns sintomas e realmente ficar doente.  

O primeiro sinal de que algo está errado é o vômito, que pode ocorrer imediatamente ou demorar uns dias. Certos cães continuam a comer normalmente e não parecem estar com alguma obstrução gastrointestinal, pois determinados alimentos mais pastosos passam pelo estômago e intestino, mesmo se houver algum corpo estranho . Tal situação caracterizauma obstrução parcial. Quando o problema é mais sério, o animal costuma ficar mais quieto, sem apetite, com diarreia e vômitos. Se os sintomas persistirem, o pet pode começar a ficar desidratado e perder peso. Dependendo do formato e de onde está localizado, o objeto inusitado pode pressionar outros órgãos importantes e causar dificuldades para o sangue circular. Se for pontiagudo, pode ainda perfurar algum órgão. O lixo também deve ser mantido fora do alcance dos pets. Ossos de galinha, por exemplo, podem causar perfurações.

Mudanças no comportamento e na alimentação devem sempre ser relatas ao veterinário. Exames de laboratório e raios x geralmente identificam o que está incomodando seu animalzinho. A endoscopia é outro método usado para encontrar o corpo estranho. Nesse caso, o pet é anestesiado antes do procedimento, em que uma pequena cânula é introduzida pela boca para encontrar o incômodo. A vantagem dessa técnica decorre  da possibilidade de retirada, com as garras do endoscópio, do objeto assim que é encontrado. Tudo depende do tamanho do que foi engolido e do local onde está. Às vezes, a remoção requer cirurgia.

 

E SE ELE ENGASGAR?

A primeira orientação é sempre buscar o veterinário para orientações. Em caso de engasgo, o tempo de socorro conta muito. Com pinça ou algo semelhante, você pode tentar pegar o objeto, mas a dificuldade é manter o cão calmo para realizar esse procedimento. Levantar as patas traseiras e deixá-lo levemente de cabeça para baixo pode ajudar a soltar o que estiver na garganta.

 

COMO EVITAR

A melhor forma de evitar que o animal ingira um corpo estranho é, simplesmente, não permitir o acesso a esses materiais. Em casas onde moram crianças, guarde sempre os brinquedos. Cães e gatos também adoram brincar, porém acabam engolindo algo inapropriado. Alguns cachorros, quando estão sozinhos na casa, devem ficar confinados em um local (casinha ou cercadinho) reservado para eles, em que estejam seguro e não tenham livre acesso aos objetos da residência. Os filhotes merecem atenção especial, porque realmente colocam de tudo na boca. Sempre que for sair, deixe-os confinados, pelo menos até que estejam adestrados. Latas de lixo devem estar sempre bem tampadas e longe do alcance dos animais de estimação. Se você tiver gatos, nunca deixe linhas ou barbantes ao alcance deles, pois adoram brincar com essas peças, ocorrendo a ingestão acidental com frequência.

 

Publicações relacionadas

Deixe um comentário